Publicidade

Postagem em destaque

Criptomoedas estão sendo usadas em esquemas de pirâmide, diz promotor

"Moedas virtuais do jeito que estão hoje com essa subida vertiginosa, onde não há lastro, não há ninguém para regular", diz espec...

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Eunício: não há pressa para votar indicação de Dodge para a PGR

A procuradora Raquel Dodge foi indicada pelo presidente da República, Michel Temer

© Agência Senado
O presidente do Senado, Eunício Oliveira, comentou nesta quinta-feira (29) o encontro que teve com a procuradora Raquel Dodge, indicada pelo presidente da República, Michel Temer, para suceder o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Eunício a recebeu em seu gabinete parlamentar na noite de quarta-feira. O presidente explicou que a procuradora solicitou o encontro para obter informações sobre os ritos, os prazos e os desdobramentos de uma sabatina no Senado.

— Eu mostrei o Regimento a ela e expliquei que a indicação vai ser lida, na sequência vai para CCJ, o presidente da CCJ vai designar um relator. Parece que o presidente da CCJ está inclinado a indicar o senador Roberto Rocha (PSB-MA). Após a leitura do relatório, vai ser feito o pedido de vista coletiva, procedimento que estabeleci quando fui presidente da CCJ — explicou.
Depois do pedido de vista, a procuradora será sabatinada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), e a indicação votada no colegiado, para depois ser analisada em Plenário.
— Após a sabatina, vem para o Plenário. Havendo quórum no Plenário, é uma norma, é uma tradição, o presidente pautar e colocar em votação. Não havendo quórum elevado no Plenário, eu não colocarei nem a procuradora para ser votada assim como não tenho colocado membros do CNMP, assim como não tenho colocado membros do CNJ porque eu não quero correr o risco de ser responsável pela derrubada de um membro do Ministério Público ou de um membro da Justiça ou de uma Agência que tenha sido indicado, tenha sido sabatinado e aí cabe ao Plenário. Tendo quórum, no Plenário, adequado, aprovar ou reprovar — esclareceu Eunício.
O presidente do Senado informou ainda que não é possível precisar se a votação ocorrerá antes ou depois do recesso.
— Não existe angústia nem pressa, nós vamos aguardar os desdobramentos da análise da indicação na CCJ para saber se a aprovação vai ocorrer até o final do semestre, sem atropelos. Caso contrário, a indicação pode ser votada no início do mês de agosto — ponderou.
Reforma trabalhista
Eunício voltou a afirmar que o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 38/2017, que trata da reforma trabalhista, pode ser votado até o fim do semestre.
— O meu compromisso com a Casa é de votar essa matéria até o fim do semestre. Eu vou seguir o Regimento Interno e respeitar a oposição. Essa é uma Casa democrática. Eu digo e repito sempre que não sou um líder partidário, nem líder do governo. Estou na mesma filiação há mais de 40 anos, mas, quando me sento naquela cadeira, sou o presidente de congressistas com as mais variadas representações e opiniões.
Questionado sobre quando haverá a votação do requerimento de urgência do PLC 38, o presidente do Senado disse que a matéria vai ser examinada na próxima terça-feira (4). As informações são da Agência Senado.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb