Publicidade

sexta-feira, 23 de junho de 2017

MP exclui tortura da denúncia de suspeitos de tatuar testa de jovem

Tatuador e amigo foram denunciados por lesão corporal gravíssima, constrangimento legal e ameaça

© Divulgação
O Ministério Público denunciou os dois suspeitos de tatuar a testa de um adolescente de 17 anos em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, no último dia 9 de junho.


De acordo com informações do G1, Ronildo Moreira de Araújo e Maycon Wesley Carvalho dos Reis foram denunciados por constrangimento ilegal, lesão corporal e ameaça. Eles não foram denunciados por tortura, contrariando entendimento da Polícia Civil sobre o caso.
A vítima teve a mensagem "eu sou ladrão e vacilão" tatuada na testa depois de um incidente envolvendo a bicicleta de um deficiente físico. Os suspeitos afirmam que o adolescente tentou roubar o objeto, mas o jovem disse que apenas esbarrou nele.
Para o crime de lesão corporal, a pena prevista básica é de detenção de 3 meses a 1 ano, mas, com agravante da deformidade permanente, passa de 2 a 8 anos. Para o crime de constrangimento ilegal, a pena prevista é de detenção de 3 meses a 1 ano, e para o crime de ameaça, de 1 a 6 meses. A promotoria pede a somatória das penas. Caso a justiça aceite a denúncia, os dois se tornam réus.
Os suspeitos foram presos e levados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo. A vítima está internado desde o dia 13 em uma clínica particular no interior de São Paulo para tratar o vício em álcool e drogas.

De acordo com informações do G1, Ronildo Moreira de Araújo e Maycon Wesley Carvalho dos Reis foram denunciados por constrangimento ilegal, lesão corporal e ameaça. Eles não foram denunciados por tortura, contrariando entendimento da Polícia Civil sobre o caso.
A vítima teve a mensagem "eu sou ladrão e vacilão" tatuada na testa depois de um incidente envolvendo a bicicleta de um deficiente físico. Os suspeitos afirmam que o adolescente tentou roubar o objeto, mas o jovem disse que apenas esbarrou nele.
Para o crime de lesão corporal, a pena prevista básica é de detenção de 3 meses a 1 ano, mas, com agravante da deformidade permanente, passa de 2 a 8 anos. Para o crime de constrangimento ilegal, a pena prevista é de detenção de 3 meses a 1 ano, e para o crime de ameaça, de 1 a 6 meses. A promotoria pede a somatória das penas. Caso a justiça aceite a denúncia, os dois se tornam réus.
Os suspeitos foram presos e levados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Bernardo do Campo. A vítima está internado desde o dia 13 em uma clínica particular no interior de São Paulo para tratar o vício em álcool e drogas.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb