Publicidade

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Pedidos de refúgio de venezuelanos em 2017 dobram em Roraima

Desde janeiro deste ano, foram 5.787 solicitações

© Reuters
Desde janeiro deste ano, 5.787 pedidos de venezuelanos para obter refúgio no Brasil, por meio da fronteira com Roraima, chegaram à Polícia Federal (PF), o que é mais do que o dobro do registrado no ano passado, quando a PF recebeu 3.500 pedidos no ano todo – um aumento de 159%.

Os dados da PF foram publicados pelo G1 e ajudam a entender os efeitos da grave crise política e econômica que vive o país vizinho.
Enquanto muitos venezuelanos buscam abrigo no Brasil, abarrotando de pedidos a sede PF em Boa Vista, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro tenta promover uma reforma jurídica no país sul-americano, em meio a pressões da oposição e da comunidade internacional.
De acordo com a PF, desde 2015 a corporação vem recebendo um número cada vez maior de pedidos de refúgio feitos por venezuelanos que querem deixar o país. Naquele ano foram 230 pedidos, contra apenas nove em 2014.
Em todo o Brasil, o Ministério da Justiça registrou até maio deste ano 8.231 solicitações de refúgio feitas por venezuelanos. É um número muito diferente dos 3.375 que fizeram o mesmo pedido em 2016.
A situação causou problemas para a PF em Roraima, que está trabalhando acima da sua capacidade. De acordo com o governo estadual, mais de 30 mil venezuelanos cruzaram a fronteira desde o ano passado, o que significa que há uma boa parcela de ilegais em território brasileiro.
O pedido de refúgio é uma alternativa mais rápida para a regularização da situação de um estrangeiro no Brasil. Contudo, é preciso que cada caso seja analisado pelo Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), o que pode levar tempo. (Sputnik)
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb