Publicidade

Postagem em destaque

Criptomoedas estão sendo usadas em esquemas de pirâmide, diz promotor

"Moedas virtuais do jeito que estão hoje com essa subida vertiginosa, onde não há lastro, não há ninguém para regular", diz espec...

terça-feira, 27 de junho de 2017

Proposta de FHC de 'abreviar mandato' irrita presidente

Ex-presidente tucano defendeu a convocação de eleições gerais no país

© Folhapress
O presidente Michel Temer se irritou com o antecessor Fernando Henrique Cardoso, que em artigo publicado na Folha de S.Paulo pregou que o peemedebista tenha a "grandeza de abreviar o seu mandato" e defendeu a convocação de eleições gerais no país.

A manifestação desta segunda (26) não pegou o presidente de surpresa. Temer já vinha recebendo recados de FHC, por meio de interlocutores, sobre a defesa de um novo pleito eleitoral.
Para não permitir que a proposta ganhe força, a determinação do presidente foi para que auxiliares e assessores presidenciais evitem respondê-lo. A ordem é ter cautela, evitando que a pauta ganhe gravidade e contamine parlamentares do PSDB que ainda apoiam o governo.
Seguindo a estratégia de ignorar o tucano, Temer não respondeu ao questionamento da reportagem em evento no Palácio do Planalto. Fez questão de demonstrar que não ficou preocupado. "Olha o sorriso", disse, virando-se para a imprensa e sorrindo.
O receio do Planalto é de que a defesa feita por FHC seja usada como justificativa para que os chamados "cabeças pretas", parlamentares tucanos favoráveis à saída do partido, votem pelo prosseguimento de denúncia contra o presidente.
A avaliação de integrantes do governo, no entanto, é de que a declaração foi um "ato isolado", que não deve precipitar o desembarque da sigla. O diagnóstico é de que os tucanos estão divididos, mas que o foco de maior problema é na Câmara, já que no Senado "o quadro é mais estável".
A avaliação do grupo político do presidente tem ressonância entre quadros do próprio PSDB, que viram como "desastrosa" e "desnecessária" a postura de FHC. Para eles, a tese não pode funcionar como um "gatilho" para o desembarque do partido.
A relação entre o peemedebista e o tucano passa por idas e vindas desde que ele assumiu o Planalto. Em dezembro, Temer ficou semanas sem falar com FHC depois dele ter comparado o governo peemedebista a uma "pinguela", uma ponte frágil. Com informações da Folhapress.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb