Publicidade

Postagem em destaque

Criptomoedas estão sendo usadas em esquemas de pirâmide, diz promotor

"Moedas virtuais do jeito que estão hoje com essa subida vertiginosa, onde não há lastro, não há ninguém para regular", diz espec...

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Áustria desiste de usar Exército na fronteira com Itália

"A Áustria não fará nenhum controle na fronteira de Brennero no momento", disse o chanceler austríaco, Christian Kern

© Reuters
Após ameaçar enviar o Exército para conter o fluxo de imigrantes que atravessa a fronteira com a Itália, o chanceler da Áustria, Christian Kern, informou que o governo desistiu da ideia de colocar militares na região.

"A Áustria não fará nenhum controle na fronteira de Brennero no momento e não está recorrendo ao uso do Exército de maneira imediata", disse Kern nesta quarta-feira (5).
O anúncio do ministro tenta "acalmar" os ânimos entre as duas nações após o anúncio de que Viena pretendia enviar 750 militares para Brennero. A notícia fez com que Roma convocasse o embaixador austríaco no país, Rene Pollitzer, como forma de protesto.
Kern conversou por telefone na manhã desta quarta-feira com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, e segundo fontes ligadas ao governo da Itália, os dois concordaram que a "colaboração entre as forças de polícia produz ótimos resultados e se baseia no respeito de ambos às regras europeias, sem nenhuma necessidade de tropas ou meios militares na fronteira".
Após o anúncio do chanceler austríaco, fontes do Palácio Chigi informaram à ANSA que o governo italiano "apreciou a mudança de rota" do governo de Viena sobre a questão. No entanto, blindados austríacos permanecem na fronteira na região, mais precisamente em Kranebitten. Conforme o ministro do Interior da Áustria, Sebastian Kurz, os veículos estão lá "para estarmos prontos" em caso de necessidade.
A fronteira em Brennero, atualmente, é monitorada por cerca de 80 policiais e já gerou diversas polêmicas ao longo dos dois últimos anos por conta da chegada em massa de imigrantes ilegais à Itália.
Por conta disso, uma "barreira" foi construída em pontos da fronteira com a Itália, em obra que foi iniciada e paralisada por diversas vezes. E, a ação do governo de Viena ocorre em uma semana crucial sobre o tema na União Europeia.
A Itália pediu, mais uma vez, ajuda do bloco para gerir a crise migratória, que se agravou nas últimas semanas. Ontem (4), a Comissão Europeia anunciou um novo plano com foco na Itália e nesta quinta-feira (6), os ministros do Interior do bloco irão debater a crise em uma reunião em Talin, na Estônia. (ANSA)
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb