Publicidade

sábado, 1 de julho de 2017

Dallagnol sugere que Aécio poderá articular pelo fim da Lava Jato

Coordenador da Operação Lava Jato lamentou decisão que deu liberdade ao senador

© DR
Líder da Força-Tarefa da Operação Lava Jato que comanda as investigações do Ministério Público Federal (MPF) em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol deu a entender na tarde desta sexta-feira que a volta de Aécio Neves ao Senado poderá ter consequências.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, negou o pedido de prisão do tucano feito pela Procuradora-Geral da República (PGR), e permitiu que o parlamentar reassuma a sua cadeira no Senado.
Em sua página no Twitter, Dallagnol escreveu que não faltavam motivos para Aécio estar atrás das grades, e que agora, de volta ao Parlamento federal, o senador poderá inclusive articular em favor do fim da Lava Jato e pela anistia dos políticos envolvidos nas investigações.

“Havia razões para estar preso, mas influenciará leis que governam nosso país. Livre inclusive para articular o fim das Lava Jato e anistia”, comentou o procurador, líder da Força-Tarefa que apura os casos de investigados sem foro privilegiado, ou seja, na primeira instância.
Aécio Neves está livre para se comunicar com a irmã, Andrea Neves, e exercer as suas prerrogativas de parlamentar com foro privilegiado. O caso dele poderá ser revisto quando for analisado pela Primeira Turma do STF, o que não deve acontecer antes de agosto, na volta do recesso.
O tucano afirmou que “sempre acreditou na Justiça” brasileira, em comunicado logo após a decisão do Supremo. (Sputnik News Brasil)

Via...Notícias ao Minuto 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb