Publicidade

Postagem em destaque

Criptomoedas estão sendo usadas em esquemas de pirâmide, diz promotor

"Moedas virtuais do jeito que estão hoje com essa subida vertiginosa, onde não há lastro, não há ninguém para regular", diz espec...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Defesa pede que próximo depoimento de Lula a Moro seja presencial

Juiz sugeriu que oitiva ocorresse por meio de videoconferência, alegando gastos altos com esquema de segurança, mas advogados do ex-presidente dizem que a percepção do magistrado acerca do depoimento é outra quando o réu está presente

© Paulo Whitaker / Reuters
A defesa do ex-presidente Lula pediu que o depoimento dele ao juiz Sérgio Moro, no dia 13 de setembro, no processo que investiga um terreno em São Paulo e um apartamento em São Bernardo do Campo, ocorra de forma presencial.

O juiz, responsável pela Lava Jato em primeira instância, sugeriu que a oitiva ocorresse por meio de videoconferência, alegando que os gastos públicos com o esquema de segurança para receber o petista são muito altos.
Quando do depoimento de Lula sobre o caso do triplex, que ocorreu em Curitiba (PR), a Polícia Militar (PM) informou ter gasto R$ 110 mil.
Os advogados do ex-presidente, no entanto, sustentam que o depoimento presencial é um direito do réu e discordam dos gastos excessivos com a segurança, já que Lula prestou depoimentos em outras cidades e não foi necessário nenhum esquema especial.
Além disso, acreditam, com base em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que a percepção do juiz acerca do depoimento, em um interrogatório presencial, não se compara à videoconferência. Cabe ao juiz, agora, definir como fará o interrogatório.
Nesta ação, de acordo com informações do portal G1, o Ministério Público Federal (MPF) acusa Lula de receber o terreno, onde seria construída a nova sede do Instituto Lula, e o imóvel, ao lado do apartamento do petista, no ABC paulista, foram resultado de propina recebida da Odebrecht, no valor de R$ 13 milhões, em troca de contratos firmados com a Petrobras.
O ex-presidente nega as acusações. Lula foi condenado, no último dia 12, a 9 anos e meio de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mas pode recorrer da sentença em liberdade.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb