Publicidade

Postagem em destaque

Relatório de CPI do Senado diz que Previdência Social não tem déficit

No documento, o relator destaca que, "antes de falar em déficit, é preciso corrigir distorções" © Divulgação O relator da C...

terça-feira, 4 de julho de 2017

Em artigo, Temer diz que crise é artificial e defende reforma

Presidente publicou texto no jornal O Povo, do Ceará

© Marcos Corrêa/PR
O presidente Michel Temer publicou um artigo nesta terça-feira no jornal O Povo, do Ceará, no qual diz que a crise que o país atravessa hoje é artificial e que seu governo está sabendo responder a ela com as reformas. No dia em que o Senado deve apreciar a urgência da reforma trabalhista, o presidente usou o espaço no jornal para defender a proposta. "Estamos a um passo da aprovação da proposta de modernização trabalhista que enviei ao Congresso Nacional, que simplifica as leis trabalhistas. Ela passou pelas comissões temáticas e, agora, vai para o plenário do Senado", escreveu o presidente, destacando que a reforma "é fruto de muito diálogo com todos os setores envolvidos, especialmente os trabalhadores".

Temer tenta ainda rebater os argumentos de centrais sindicais que são contra a proposta e destaca que conforme "um estudo divulgado recentemente, a modernização trabalhista, junto com a lei da terceirização, pode gerar 2,3 milhões de empregos formais em curto espaço de tempo".
Repedindo a crítica que fez durante seu pronunciamento ao ser denunciado pelo Procurador-Geral Rodrigo Janot, o presidente destacou que o momento que o País atravessa exige responsabilidade de todos, com "atos e palavras". "O que está em jogo é a superação de uma crise sem precedentes, é o futuro do Brasil. Por isso, repito: o Brasil não pode parar. O Brasil não tem tempo a perder. Seguiremos adiante", escreveu.
No texto, intitulado "O Brasil não pode parar", que tem sido a bandeira do governo para tentar se descolar da crise política e jurídica que atravessa, com o presidente sendo investigado e prestes a ter a denúncia contra ele apreciada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Temer diz que a expressão "faz referência a uma frase que era orgulho de paulistas e, posso dizer, de brasileiros em geral". "Durante anos ecoava em todo o País o brado "São Paulo não pode parar".
"Hoje, esse sentimento e essa convicção estão presentes em todos os que percebem que o País mudou. O Brasil não pode parar. Ninguém conseguirá tirar o nosso País dos trilhos do crescimento e da justiça social", escreveu Temer no jornal cearense.
Ao dizer que "a resposta à crise artificial é clara", o presidente destacou que seu governo trabalha para tentar retomar o emprego. "Tivemos abertura de novos empregos em três dos cinco primeiros meses do ano, em fevereiro, abril e maio. Em 2017 a geração de empregos já é positiva. Nosso trabalho agora é ampliar esse quadro e absorver os milhares de brasileiros que estão fora do mercado de trabalho", diz.
Ao defender a reforma trabalhista, Temer destacou ainda que o texto que será apreciado pelo Senado "pune o empregador que pagar salários diferentes para homens e mulheres que exerçam a mesma função" e "fortalece o papel do sindicato nas relações trabalhistas, dando força de lei do acordo coletivo".
"Patrões e empregados vão poder negociar questões pontuais, como duração da jornada de trabalho e adequação desta jornada para diferentes públicos; trabalho remoto; banco de horas; participação nos lucros", explica o presidente.
O presidente ressalta que no fim do ano passado seu governo lançou uma plataforma antifraude no seguro-desemprego e que já foram bloqueados 29.871 requerimentos e evitadas fraudes no valor de quase R$ 153 milhões. Segundo ele, a medida propiciou economia direta e indireta no valor de cerca de R$ 487 milhões.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb