Publicidade

quarta-feira, 5 de julho de 2017

EUA dizem estar prontos para usar força militar contra Coreia do Norte

Na terça-feira (4), secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, admitiu que o míssil testado pela Coreia do Norte poucas horas antes era um artefato balístico intercontinental

© Folhapress
Os Estados Unidos disseram, nesta quarta-feira (5), estar dispostos a usar a força militar contra a Coreia do Norte após o teste de um míssil balístico intercontinental por Pyongyang na véspera.

O recado foi dado pela embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança para tratar do tema. A representante instou ainda os países-membros a aprovarem novas sanções para salvarem o mundo de uma "catástrofe".
"Os EUA estão preparados para usar todas as nossas capacidades para nos defender e defender nossos aliados. Uma dessas capacidades é a nossa considerável força militar", disse Haley. "Nós vamos usá-la se for preciso, mas preferimos não ter que ir nesta direção".
A embaixadora disse que os EUA vão propor novas sanções à Coreia do Norte nos próximos dias e pressionou os membros do conselho -incluindo China, aliada de Pyongyang, e Rússia- a aprovar as medidas.
"O tempo é curto, e uma ação é necessária. Se agirmos juntos, ainda podemos salvar o mundo de uma catástrofe", disse.
Segundo ela, se os EUA não tiverem o apoio dos outros países, o governo americano vai seguir "seu próprio caminho" sobre o tema, o que poderia compreender, inclusive, a retaliação aos que seguirem com suas parcerias comerciais com a Coreia do Norte.
"Vamos observar cada país que escolher fazer negócios com esse regime criminoso", afirmou, num recado especialmente voltado à China -que, como Haley ressaltou em sua fala, é responsável por 90% do comércio norte-coreano.
Na terça-feira (4), secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, admitiu que o míssil testado pela Coreia do Norte poucas horas antes era um artefato balístico intercontinental, que, em tese, teria capacidade de atingir o Estado americano do Alasca.
O secretário cobrou uma "ação global para deter uma ameaça global".Horas depois, os EUA anunciaram que suas forças fizeram um teste conjunto com Seul, lançando mísseis que caíram em águas sul-coreanas. O exercício foi uma demonstração de poder de defesa diante do lançamento norte-coreano. (Folhapress)
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb