Publicidade

Postagem em destaque

Com a crise, número de brasileiros que deixa o país dispara

Perfil de emigrantes é, na maioria, pessoas de 30 a 55 anos, que se mudam com a família © Steven Saphore/Reuters A quantidade de pe...

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Maior parte do DNA é lixo genético, afirma biologista

O corpo humano sofre de mutações que perturbam a função reprodutiva e, ao mesmo tempo, se submete a processos evolutivos que ajudam a evitar isto

© iStock
Por volta de três quartos do genoma humano consiste de componentes não funcionais, de acordo com um estudo do professor Dan Graur, colaborador da faculdade de biologia e bioquímica da Universidade de Houston.

O cientista explicou à Sputnik Internacional o que fazer com as mutações inevitáveis de genes no corpo humano e o que aconteceria se o DNA humano fosse 100% funcional.
O especialista contou que o seu estudo é baseado em um trabalho do laureado do Prêmio Nobel, Hermann Muller, que em 1960 disse que a humanidade, bem como as populações de outros organismos da Terra, está em estado de equilíbrio aproximado. O corpo humano sofre de mutações que perturbam a função reprodutiva e, ao mesmo tempo, se submete a processos evolutivos que ajudam a evitar isto.
Muller chamou este processo de carga de mutação. Esta noção significa que qualquer parte do seu corpo pode se submeter a mudanças que vão afetar seu funcionamento. "Qualquer coisa, por exemplo, uma televisão, com o tempo começará a trabalhar pior e por fim vai deixar de funcionar", explica o cientista.
A maior ameaça para os genes são as mutações. A maioria delas que estão decorrendo na parte funcional do genoma tem um caráter pernicioso. "Como nós podemos nos opor a estes processos? É preciso aumentar a taxa de natalidade! É preciso dar à luz mais crianças, de maneira a completar a população", disse Dan Graur.
Se o genoma fosse 100% funcional, e todas as suas partes sofressem as mutações, a quantidade de mutações perniciosas seria tão grande que o número de crianças deveria ser mais do que a quantidade de galáxias do Universo, para ter uma população relativamente estável.
"Por isso, eu pressupus que só uma parte do genoma é funcional. De acordo com os meus cálculos, essa parte não excede os 25%. Será por volta de 10 ou 15%", disse o cientista. O especialista sublinha ter a certeza que tal mecanismo se formou graças ao processo de evolução e que nenhuma criatura racional nunca podia ter criado algo parecido. Com informações do Sputnik Brasil. 
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb