Publicidade

sábado, 8 de julho de 2017

Maria do Pó é a criminosa mais procurada de São Paulo

Com a prisão de Luana Don, na última terça, Maria do Pó é a única mulher entre os 28 criminosos mais procurados no Estado de São Paulo

© Divulgação / Polícia Civil - SP
Após a prisão da repórter do Superpop e advogada Luana de Almeida Domingos, a Luana Don, a traficante de drogas Sonia Aparecia Rossi, conhecida como Maria do Pó, passou a ser a mulher mais procurada pela polícia de São Paulo.


Acusada de fornecer informações sobre crimes do Primeiro Comando da Capital (PCC) a presos e membros da facção, a jornalista de 32 anos foi presa na última terça-feira (4) em Ilhabela, no litoral paulista. Antes disso, as duas apareciam na lista de procurados da Justiça no site da Polícia Civil estadual. Agora, Maria do Pó é a única mulher entre os 28 criminosos mais procurados no Estado de São Paulo.

Maria do Pó fugiu da prisão feminina de Santana, no Carandiru, na zona norte da capital paulista, em março de 2006 e está foragida desde então. A polícia oferece recompensa de R$ 5 mil por informações que levem à prisão da criminosa.
Ela foi condenada a 54 anos e oito meses de prisão em regime fechado por tráfico de drogas. Maria do Pó ficou famosa por ter se envolvido no desaparecimento de 340 quilos de cocaína do Instituto Médico-Legal (IML) de Campinas, no interior do estado, em janeiro de 1999. A droga, avaliada em R$ 400 mil, havia sido apreendida em uma chácara em Indaiatuba, em uma cidade da região, dias antes.
Policiais informaram ao "G1" que acreditam que a criminosa, que hoje tem 56 anos, continue traficando drogas e estabelecendo contato com facções criminosas dentro e fora dos presídios do Estado.
Denúncias podem ser feitas anonimamente pelo Disque-Denúncia, pelo número 181.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb