Publicidade

Postagem em destaque

Sob pressão, Temer recua e decide revogar extinção da Renca

Decisão deve ser anunciada nesta segunda-feira (25) pelo ministro de Minas e Energia, Bezerra Coelho © Reuters Sob críticas de enti...

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Presidente do Paysandu renuncia após sofrer ameaça à mão armada

Em sua carta de renúncia, Sergio Serra afirmou que estava em uma praça de Belém, no Pará, no domingo (2) quando ele e sua família foram agredidos

© Divulgação
O presidente do Paysandu, que disputa a Série B do Brasileiro, renunciou na manhã desta quinta-feira (6) ao cargo que ocupava há seis meses. O time vem de oito jogos sem vitória. Em sua carta de renúncia, Sergio Serra afirmou que estava em uma praça de Belém, no Pará, no domingo (2) quando ele e sua família foram agredidos e tiveram sua integridade física e segurança ameaçadas.


Em contato com a diretoria do clube, o cartola disse que brincava com seu filho, um adolescente que sofre de autismo, e sua mulher, quando dois homens desceram de uma moto armados e o ameaçaram, cobrando resultados do time. O cartola preferiu não prestar queixa da ameaça à polícia, segundo a diretoria do Paysandu. No dia seguinte, ele se reuniu com o clube e comunicou a renúncia.
"Ele é uma pessoa muito família e reservado e sempre disse que quando a coisa começasse a colocar em risco a segurança da família, esse seria o limite dele", disse Tony Couceiro, que assumiu a presidência do clube. "A gente entende a decisão dele, nesse caso não seria nem justo que pedíssemos o contrário."
A diretora do Paysandu não sabe se o antigo presidente está em Belém ou deixou a cidade para evitar agressões mais graves.
Com um começo promissor na Série B, o Paysandu chegou a vencer o Internacional e liderar a competição, mas começou a perder jogos em casa e causar revolta na torcida. Agora, o time ocupa a 16ª posição a um ponto da zona de rebaixamento. Serra era considerado um presidente omisso porque não tinha presença nas redes sociais, diferentemente de seus antecessores.
Couceiro, que assume e deve ficar no cargo até o fim de 2018, pediu desculpas à torcida e disse que trabalhará muito para tirar o time da situação em que se encontra. "Tem que pedir desculpa à torcida por eventuais erros que tenhamos cometido. Agora é trabalhar muito para chegar aos resultados." Com informações da Folhapress.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.
Solicitamos não incluir hiperligações (links) ou qualquer código HTML;
comentários racistas, xenófobos, sexistas, obscenos, homofóbicos.
Muito obrigado. Infonavweb