Publicidade

Postagem em destaque

Cratera aparece em fazenda no interior de MG e intriga moradores

Pesquisadores acreditam que se trate de uma dolina, formada pelo desabamento de grutas subterrâneas © Prefeitura de Coromandel / Divulga...

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Temer ofereceu ministérios do PSDB ao centrão para se salvar

Presidente prometeu redistribuir cargos comandados pelos tucanos para reforçar o apoio dessas siglas a seu governo

© Beto Barata/PR
O presidente Michel Temer ofereceu a dirigentes de partidos como PP, PR, PSD e PRB os cargos atualmente ocupados pelo PSDB em seu governo para que essas siglas ajudem a salvá-lo na votação da denúncia apresentada contra ele.


Em reuniões nos últimos dez dias com caciques desses partidos, que integram o chamado centrão, o presidente disse que vai redistribuir ministérios e outros espaços comandados pelos tucanos para reforçar o apoio dessas siglas a seu governo.
Segundo a reportagem apurou, o presidente disse aos dirigentes partidários que sairá do processo de votação dessa denúncia com uma base aliada no Congresso mais enxuta, porém mais coesa e fiel.
Temer afirmou ainda que os partidos que demonstrarem fidelidade agora serão recompensados na recomposição da coalizão governista, de acordo com relatos de dois presidentes partidários que discutiram o assunto com ele.
Aos partidos do centrão, o presidente criticou o comportamento do PSDB -que tem 46 deputados, controla quatro ministérios, e ameaça romper com seu governo e votar majoritariamente pela aprovação da denúncia.
Temer, segundo os dirigentes, disse que a sigla prejudica o governo e não terá condições de continuar ocupando espaços em sua gestão.
A sinalização de Temer, segundo esses dirigentes aliados, foi a principal contrapartida para que eles aprovassem, nos últimos dias, as medidas que obrigam seus deputados a votar a favor do presidente -conhecidas como fechamento de questão.
Os partidos do centrão têm especial interesse pelo Ministério das Cidades, comandado pelo PSDB, que tem um orçamento robusto e uma série de projetos nos municípios.
O movimento de Temer em direção a esses partidos faz parte de uma estratégia para construir um núcleo de poder concentrado em uma quantidade menor de siglas, para sobreviver não só a esta denúncia, mas também às outras acusações contra ele prometidas pela PGR (Procuradoria-Geral da República).
PP, PR, PSD e PRB têm, ao lado do PMDB, 208 deputados. Temer precisa do apoio de pelo menos 172 parlamentares para barrar essas denúncias no plenário da Câmara. Com informações da Folhapress.
Via...Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog.

Muito obrigado. Infonavweb